08 fevereiro 2011

Ora está explicado o Egito, a Tunísia...

Mais de Luanda nos chega. José Eduardo dos Santos explicou o que pensa "sobre o contexto mundial", e então avançou com esta minudência: "muitas das crises politicas que se registam no mundo, como é o caso do Egipto, Tunísia e Iémen tem razão nas alterações que se verificaram nos últimos anos". E para que a precisão fosse maior, acabou por dizer o que ninguém ainda dissera e muito menos pensara: “Estas crises, entre as quais algumas são antigas, resultam da incapacidade de se encontrar entendimentos políticos ou programas de governo adequados para a sua resolução e se têm agravado, por causa das profundas alterações que o mundo conheceu nas duas décadas”.

1 comentário:

Jose Martins disse...

Há qualquer comichão atrás da orelha de José Eduardo dos Santos...
.
Ele bruxo não é, mas me parece que advinha que os maus ventos sopram do norte dó continente africano podem soprar e chegar mais para o sul.