30 abril 2011

O PROSA DE POSTOS E ainda não tem título...

O Tem um grande projeto que anuncia amiúde, em jantares, em cocktails, nas conversas de intervalo, nos desabafos por telefone...: "Mal isto termine e me jubile, vou fazer a a minha autobiografia..."

VEXA queria fazer a autobiografia de algum dos outros, ou que alguém que não VEXA faça a sua?

2 comentários:

patricio branco disse...

dentre as palavras da frase, chama-me a atenção o "isto", onde cabe quase tudo: apreço e indicação, mas tambem cansaço ou mesmo desprezo. E o "mal" parece significar pressa, impaciência.
Quanto à "minha" se soubessemos quantas autobiografias andam por aí que foram encomendadas e escritas não pelo próprio, mas por escritores fantasma, pelo próprio apenas assinadas...

Jose Martins disse...

Eu até estou disposto a escrever as minhas memórias mesmo com as calinadas habituais. Dar-lhe-ei o título:

"Escravo da Diplomacia - Classificado um pouco acima de cão"

Vai ser best seller, porque não vai aborrecer o leitor com aquelas frases intrincadas que ninguém as entende e acção que valesse tiveram.
.
Entre vários episódios contarei um: "o perfil atlético do meu embaixador, de então, em saltar o portão da embaixada às 3:30 da madrugada"
.
E dado que a situação económica não está para flores (a minha reforma é tão "rasca" que tenho vergonha de dizer o montante),farei uns dinheirinhos na venda nem que tenha que eu oferece-los no Chiado e pedir aos que passam: "comprem-me um livrinho senhores e senhoras.
.
São histórias de encantar e saber como um embaixador de Portugal portões tão bem sabia saltar!
José Martins
.
P.S. - Nada tenho contra a embaixadores que souberam sê-lo. Entenda-se por aí