06 novembro 2012

Propaganda

Um movimento diplomático que é absolutamente normal e expectável: normal nuns casos, noutros prova de fracasso ou falhanço quanto ao movimento de há escassos meses e ainda um favorzito antes que seja tarde mesmo que custe ao Estado, eis o milagre das rosas que Paulo Portas ostenta antes que o Natal chegue, a política aqueça, e se esbata uma oportunidade de propaganda.

Ana Martinho chega tarde à secretaria-geral (passa à disponibilidade em maio do próximo ano...) e não se percebe como é que embaixadores a pouco menos de um ano de também terem que terminar serviço em postos, mudem de capital com tudo o que isso implica para os cofres do Estado.

E quanto ao número de mulheres em chefias de embaixadas (de três para seis), o número continua a ser modesto e insignificante.

É claro que a propaganda pode não estoirar o ministro, mas estoira com o MNE.


8 comentários:

Anónimo disse...

Finalmente uam boa noticia, o seu blog está activo, pensei no pior.... seja bem-vindo de novo, pode crer que fez muita falta....

Anónimo disse...

Um Secretario-Geral pode estar na disponibilidade, como foi o caso de Vasco Valente.

NV disse...

Não se desconhece o que significa "na disponibilidade em serviço"... Mas não foi o ministro que anunciou o rejuvenescimento dos quadros? Além disso, um secretário-geral não coisa para se descartar em nove meses.

Anónimo disse...

Transferir CM para Postos onde irão permanecer cerca de 1 ano é uma irresponsabilidade financeira, designadamente nos tempos que correm.
Portas, porém, pouco se importa. Bem como o DGA e o SG. Os CM não queriam continuar em NY e Pequim, etc? Então vinham para casa.
Quanto ás afirmações do Ministro de que prefere gente mais nova, na média de faixa etária dos 55 anos, é caso para se perguntar quando ele chegar a essa “vetusta” idade se pensa ir para casa e reformar-se de vez, por considerar já não ter idade para trabalhar.
Quanto à disponibilidade no activo, só funciona para SGs (ventis ou outros), pois quanto aos outros ficam a marinar, caso lhes suceda terem de regressar antes dos 65 anos, ou mesmo depois, se não quiserem reformar-se logo.
Quanto a certas colocações, são, no mínimo, surpreendentes! Não deveria chegar ser mulher, ou ser jovem para ir chefiar uma Missão. O bom senso pode ser qualidade inata, mas refina e melhora com a experiência que só anos de experiência de trabalho e tarimba diplomática nos dá. A experiência melhora a nossa ponderação.
E vamos aguardar pelo que Ana Martinho nos trará. O passado recente, destes últimos SGs (Quartin, Neves, Valente e agora AAR, que pouco tempo teve para aquecer o lugar, o que já lhe tinha sucedido quando desempenhava as funções de DGPE, sabe-se lá porquê!) não deixou saudades, pelo contrário.




Anónimo disse...

Quanto aos jovens nas chefias de missão, o ministro Portas só me convenceria se despachasse a sua jovem Subsecretária Adjunta Vânia Silva, para embaixadora no Vaticano. Ao menos faria alguma coisa que se visse e de útil.

Anónimo disse...

Eu punha era a dita Vânia como Embaixatrolas no Burundi. Assim sim!

Anónimo disse...

Gostaria de saber para onde vai o actual Embaixador em Maputo, uma ves que JA Duarte para ali segue. E o novo DGA?O que resta para Rui Macieira quando sair de DGPE? E quem vai para o lugar de Viseu Pinheiro em S.Bento? E de Manuela Franco no Arquivo?

Anónimo disse...

Caro anónimo,

Uma pequena "achega", apenas: o actual DGPE/Macieira está em maus lençois, visto Sexa MENE nem sequer o receber e não querer que o acompanhe. Vai a Bruxelas, para aquelas reuniãozinhas entre DGPEs e basta.
O "bom" do Macieirita já está a ver sua fulgurante promoção a "full rank" por um canudo.