01 agosto 2013

Excelente SENEC

Seja na leitura em diagonal, horizontal, ou vertical, não é muito difícil verificar que o currículo de Luís Campos Ferreira se adequa ao perfil de um Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação.

Aqui segue a versão oficial na íntegra, falando por si:

Luís Campos Ferreira

Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação

Luís Campos Ferreira nasceu em Viana do Castelo em 26 de Novembro de 1961. Viveu a sua infância, em Valença do Minho, tendo-se depois mudado com a família para o Porto.
Licenciado em Direito pela Universidade Católica do Porto, foi regente do Seminário de Direito da Comunicação Social na Faculdade de Direito.
Tendo trabalhado durante duas décadas na área do Marketing e da Publicidade, ocupou cargos de relevo no Grupo Rangel, McCann Erickson Porto e McCann Erickson Portugal, onde foi vice-presidente.
É deputado à Assembleia da República desde 2002, tendo exercido os cargos de presidente da Comissão de Economia e Obras Públicas, vice-presidente do Grupo Parlamentar do PSD, presidente da Subcomissão Parlamentar de Direitos Fundamentais e Comunicação Social, de coordenador do PSD da Comissão Parlamentar de Defesa Nacional, e de presidente do Conselho de Direção do Canal Parlamento.
É membro da Assembleia Parlamentar da OSCE e foi também membro do Conselho da Europa.
Foi secretário-geral adjunto do PSD sob liderança de José Manuel Durão Barroso, tendo também sido diretor do jornal «Povo Livre».

7 comentários:

Anónimo disse...

Gostaria de perguntar a Sua Excelência o Senhor Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros que línguas fala, pois consta que não fala nem entende inglês, nem qualquer outra língua. Deve ser falso...

Anónimo disse...

Também deve ser falso que tenha ido em carro oficial a um torneio de golfe no Algarve. Yes? No?

Anónimo disse...

Cá por mim, para calar as más línguas, Luís Campos Ferreira devia ir à televisão fazer a sua despedida como comentarista (sempre profundo, como ssbe...), falando só em inglês para dar prova provada. Será capaz de fazer isso?

Anónimo disse...

Se não fala inglês já não é mau porque certos diplomatas nem o português.

Anónimo disse...

Como é referido o deputado em causa só foi Vice Presidente de uma das maiores empresas mundiais de publicidade, uma multinacional americana com elevadas exigências profissionais e, que conste, ascendeu a essa posição antes de qualquer responsabilidade politica ou partidária. A maldecencia , a calúnia e a inveja tem limites...

NV disse...

Pergunta-se a este anónimo onde houve "maledicência", "calúnia" e "inveja". A isto pode continuara a responder como anónimo próprio. Mas se tiver a coragem de assinar com o nome próprio que nos elucide se ter estado numa agência de publicidade é requisito para Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, entre os requisitos académicos e profissionais.

Anónimo disse...

O mais grave é a MENTIRA! O Sr. Luís Álvaro Campos Ferreira, que levou quase dez anos a fazer o curso de Direito, NÃO FOI SECRETÁRIO-GERAL ADJUNTO do PSD com Durão Barroso, mas sim com Pedro Santana Lopes!!! O secretário-geral, já agora, era um outro "académico" de renome que se chama Miguel Relvas!