02 fevereiro 2011

Gastança em Rabat

O ministro ministra o que entende ministrar e o governo governa como julga que deve governar, mas há ministérios que não se percebem e governanças incompreensíveis. Tudo isto por aquilo que se sabia mas só agora vem confirmado em folha oficial: o Inspetor Francisco José Guerra Tavares, da Inspeção-Geral de Finanças, e que tem desempenhado as funções de director do Departamento Geral de Administração da Secretaria-Geral do MNE, em vez de regressar ao lugar de onde partiu nas Finanças, é nomeado, em comissão de serviço de três anos, Conselheiro Técnico na Embaixada de Portugal em Rabat.

Um inspetor de finanças em Rabat como conselheiro técnico, onde já está um conselheiro económico... Vai fazer o quê? Precisa a embaixada em Rabat de um "conselheiro técnico" sem especificação em que técnica, quando a REPER (Bruxelas) ou mesmo Madrid disso está tão carecida?

5 comentários:

Jose Martins disse...

E uns meses antes de José Sócrates partir do S.Bento os seus mais directos "boys" vão ser encaixados, como conselheiros de qualquer coisa, nas missões diplomáticas por esse mundo adiante. Aguardemos.
.
Quem não é visto não é lembrado e no estrangeiros vão vivendo na maior!

patricio branco disse...

Em Rabat não há o stress que há na Reper, muito melhor no Marrocos aqui ao lado e, melhor ainda, num lugar de "tecnico" em abstracto,sem função específica, só para estar (e gastar)

José disse...

Há um ditado muito antigo.

Pergunta de Um Director Geral a um Conselheiro Económico, quanto passa
em frente ao seo Gabinete, e vê estar em conversa, com outro colega.

" O que está o senhor a fazer!!!!
Resposta do Conselheiro : NADA
Entretanto pergunta ao segundo;
"Estou a Ajudar a Não Fazer Nada"

É o que se deve estar a passar, naquela MIssão Diplomática de Rabat.
Pois os interesses são outros.!!!!!

JSLoures

José disse...

A seguir, são os padrinhos de casamento:

Pois estão em Budapeste a aguardar a "Chamada"
Aí vai ser mais dificíl o apadrinhamento.

JSLoures

José disse...

Foi lá colocado pelo seguinte:

As " Contas de Gerências" em atrazo, de Anos, passarão a ser enviados, para aquela Missão, a
fim de o Sr, Conselheiro, de que é Técnico, as poder analizar. e enviá-las ao T:C.
Só assim é que se poderá justificar a sua colocação, como Técnico Conselheiro, a ganhar aquela pequena FORTUNA:

JSLoures