09 maio 2011

Programas...


Na área da política externa e do que isso pressupõe, o PS não dá o salto e o PSD salto não dá. Estamos a ouvir o mesmo há anos e anos. Coisas que um anuncia o outro já disse que iria fazer, e as coisas que o outro não fez tendo anunciado ficam anunciadas como se ninguém as que tivesse que fazer - muito à portuguesa, uma tal formulação de intenções que dá para tudo.

Comentar o quê?

6 comentários:

patricio branco disse...

Só se debate a crise e as medidas acordadas com o fmi, nos debates eleitorais nem uma palavra sobre politica externa que, bem conduzida, nos pode tambem trazer mais valias

Jorge da Paz disse...

Peço desculpa por ainda não ter conseguido os programas de todos os partidos, mas consegui o do PSD, que tem um capítulo intitulado "POLÍTICA EXTERNA AO SERVIÇO DO DESENVOLVIDO, a partir da pg 114.

Pormenoriza até as acções em 4 eixos e apesar de eu ser um "diplomata amador", julgo que merece ser lido e comentado pelo ilustre autor deste blogue.

Jorge da Paz disse...

Atrás, no título do capítulo, enganei-me, do que peço desculpa, pois queria sim escrever "... DESENVOLVIMENTO".

Jorge da Paz disse...

Eu tinha aqui posto um comentário que desapareceu sem explicações...

Bom, creio que os programas do PS e do PSD são substancialmente diferentes e muito mais completo e pragmático o do segundo, segundo a minha modesta opinião.

Claro que eu não passo de um "diplomata amador", mas se não gostam da minha opinião é só dizer que eu não emito mais nenhuma e deixo até de visitar este blogue. Aproveito para esclarecer que ainda não li o do CDS, o que vou fazer e se for oportuno e me deixarem aqui voltarei.

NV disse...

Prezado Jorge Paz, surpreende-nos a observação sobre a retirada do seu comentário. É que por incontornável limitação não nos tem sido possível acrescentar qualquer coisa às NV, quanto mais eliminar... A eliminação automática está programada apenas para termos menos próprios e manifestamente não será esse o caso. Sabenos que o Blogger esteve em manutenção, terá havido coincidência?

Jorge da Paz disse...

Naturalmente que terá sido o que diz.
Mas a verdade é que o meu comentário inicial desapareceu. Bom, vamos continuar.
Um abraço