09 Maio 2012

Preço certo

Poucos, poucos os que foram MNE e deram em comentadores, analistas e ofícios correlativos do preço certo. Martins da Cruz tão depressa aparece nuns comentários esporádicos como se eclipsa, não dando tempo a que se avalie a credibilidade dos refrões. Teresa Patrício Gouveia aparece de ano em ano, cada ano aparecendo com a interjeição do ano anterior. E mais ninguém. António Monteiro, que anda entre petróleos e banca, parece que não terá tempo para essas coisas mundanas; Durão Barroso ascendeu e isso, de MNE, é mero episódio curricular; Deus Pinheiro, sim, inesperadamente de vez em quando como que uma pincelada em quadro impressionista, tanto faz que seja amarelo como azul que dá sempre em verde; Mário Soares tem outro estatuto; Medeiros Ferreira não teve muito tempo e condições e Jaime Gama não se vê. Mas agora aí temos Luís Amado a pontificar na televisão e na rádio, quem diria que a banca lhe deixa tempo. Não tem adiantado grande coisa, a não ser deixar sugerido que se perdeu um ministro cansado para se ganhar um comentador cansativo.

3 comentários:

jmira disse...

Estou feliz por reencontrar um amigo que estava ja a fazer-nos muita falta. Um grande abraco para este regresso. A vida é por vezes complicada (disso muito sofro) mas a alegria dos "amigos" que esperam pode ajudar a esquecer as magoas. Benvindo à casa que so pode ser sua.

patricio branco disse...

medeiros ferreira vê se com frequencia, é o unico.
bentornado, depois dessas ferias

joãoeduardoseverino disse...

Post genial.