18 maio 2013

3.º secretário, adjunto do primeiro-ministro

Hugo de Melo Palma, 3.º secretário de embaixada, foi nomeado adjunto do gabinete de Pedro Passos Coelho.
Currículo
Licenciado em Relações Internacionais pelo ISCSP (Universidade Técnica de Lisboa); master of arts em Relações Internacionais e Diplomáticas da UE pelo Colégio da Europa (Bruges), onde foi assistente. Aprovado no concurso diplomático do MNE aberto em 2008; adido de embaixada, em abril de 2010; e 3.º secretário de embaixada em julho de 2012.

18 comentários:

Anónimo disse...

Que ligações políticas tem o rapaz, ou de que protecções goza o indivíduo?
Não se cai no Gabinete do PM assim sem mais nem menos. Tem de haver ou cunha, ou algo mais, como atrás refiro. E, não se admirem depois, de o verem "cair" num Posto tipo NY, Paris, Londres, Roma, Reper, Nato, etc

Anónimo disse...

Não há troika que nos possa libertar da inveja que afirma Pereira(Pacheco).
Não conheço este eleito, mas não é evidente que possa ser má escolha. Benefício da dúvida, sendo certo que há uns quantos que são meticulosamente escondidos, apagados e que nunca virão à tona. Com estes ou com os que estiveram. Ou porque não fizeram alianças promissoras, ou porque demasiado brilhantes e logo fazendo sombra nas imediações ou porque simplesmente são electrões livres e não são controláveis. Há alguns anos depois de uma escandaleira no Independente alguém recusou o posto de n.2 em Madrid em troca do silêncio. Já estão aí ser acenadas outras capitais menos madrilenhas e mais soturnas e aborrecidas. Não morreremos de tédio.

Anónimo disse...

O rapaz tem excelentes pergaminhos no que respeita ao acompanhamento e vasto conhecimento dos Assuntos Europeus. Pena que a nota curricular (tão curta) não dê disso provas, serviria para acalmar algumas críticas.

Anónimo disse...

A insinuação presente no título do artigo é lamentável. Antes de o colocar o autor deveria ter procurado informar-se acerca do diplomata em questão. Rapidamente perceberia que se trata de alguém particularmente bem preparado para o lugar.

NV disse...

Não está em causa a preparação académica do nomeado - está patente no currículo. Nem se pretende que o seu futuro não seja promissor. Apenas se questiona o grau a sugerir experiência ou calo de um adjunto diplomático do Primeiro-Ministro. A não ser que a carreira seja assim tão pobre que se tenha deixado tantos a ir mais longe do que deviam ou podiam.

Anónimo disse...

É certo que o nomeado tem um perfil académico adequado. Quem trabalhou com ele até o acha extremamente competente. Parece mesmo ter um perfil adequado para o lugar. Mas não é isso que está em causa. Há um direito inalienável, que este blog bem exerce, de não gostar por não gostar. O mérito não existe e qualquer motivo é bom para explicar que o homem não serve. O autor lamenta a falta de calo. Da minha parte, solidarizo-me e acho que o nomeado não é adequado porque é baixo. O PM é alto. Um adjunto com menos de 1m80 é inestético.

Anónimo disse...

É certo que o nomeado tem um perfil académico adequado. Quem trabalhou com ele até o acha extremamente competente. Parece mesmo ter um perfil adequado para o lugar. Mas não é isso que está em causa. Há um direito inalienável, que este blog bem exerce, de não gostar por não gostar. O mérito não existe e qualquer motivo é bom para explicar que o homem não serve. O autor lamenta a falta de calo. Da minha parte, solidarizo-me e acho que o nomeado não é adequado porque é baixo. O PM é alto. Um adjunto com menos de 1m80 é inestético.

Anónimo disse...

É certo que o nomeado tem um perfil académico adequado. Quem trabalhou com ele até o acha extremamente competente. Parece mesmo ter um perfil adequado para o lugar. Mas não é isso que está em causa. Há um direito inalienável, que este blog bem exerce, de não gostar por não gostar. O mérito não existe e qualquer motivo é bom para explicar que o homem não serve. O autor lamenta a falta de calo. Da minha parte, solidarizo-me e acho que o nomeado não é adequado porque é baixo. O PM é alto. Um adjunto com menos de 1m80 é inestético.

Anónimo disse...

Vá, baixo também não. 1,76 talvez até seja acima da estatura média em Portugal, mas realmente na Europa não impressiona. E todos sabemos como Portugal é fraco no jogo de cabeça.

Anónimo disse...

Se o autor deste blog tivesse feito um mínimo de investigação, tinha rapidamente descoberto que este funcionário, para além de ter sido o primeiro do concurso dele, e para além de ser universalmente reconhecido (dentro e fora do MNE) como um dos jovens diplomatas mais competentes, também está altamente qualificado para exercer precisamente as tarefas de que foi incumbido no gabinete do PM.

É daqueles casos de dizer mal porque sim. Ele é qualificado e competente, mas não chega. Já agora o autor do post poder-nos-ia iluminar com a sua opinião sobre a altura da carreira a partir da qual um diplomata deve poder ir para o GPM? Conselheiro? Ou 1º Secretário já pode?

Anónimo disse...

Se o autor deste blog tivesse feito um mínimo de investigação, tinha rapidamente descoberto que este funcionário, para além de ter sido o primeiro do concurso dele, e para além de ser universalmente reconhecido (dentro e fora do MNE) como um dos jovens diplomatas mais competentes, também está altamente qualificado para exercer precisamente as tarefas de que foi incumbido no gabinete do PM.

É daqueles casos de dizer mal porque sim. Ele é qualificado e competente, mas não chega. Já agora o autor do post poder-nos-ia iluminar com a sua opinião sobre a altura da carreira a partir da qual um diplomata deve poder ir para o GPM? Conselheiro? Ou 1º Secretário já pode?

Anónimo disse...

Vejamos. Há, ao que se vê, muito palerma, possivelmente da idade do jovem “promissor” assessor do actual PM (pois um dia destes vai à vida, assim se espera) a dizer umas tantas baboseiras sobre o infante. O infante, para quem o conhece, não é, nem de perto nem de longe, melhor do que muitos outros. O rapaz teve e tem, enquanto este governo se mantiver, muitos e sólidos apoios - políticos e pessoais. Tão simples como isso. Fingir que se ignora isto é de imbecil. O processo de de escolha não seguiu um figurino..."de escolha", por mérito. Foi pelo que se sabe que foi. Deixemo-nos de pantominas. Os palermas, da idade dele ou outra, que o defendem, ignoram toda a “contrução” de como o rapaz chegou onde chegou, com a aprovação de Francisco Ribeiro de Menezes. Ponto!
Quanto a ser o 1º do concurso dele, é totalmente irrelevante. Só mesmo um anónimo sem experiência de carreira diria semelhante patetice. A prova dos nove está quando o miúdo se confrontar com a vida real, em Posto e nos serviços internos, ainda que, a partir do momento em que “cai” no Gabinete de um PM, haverá sempre alguma reverência tola e submissa perante o “moço”. Mesmo de cima! Da hierarquia submissa do MNE.
Um outro aspecto: 1,76 cm já não é a estatura média em Portugal, mas 1,80. Ou o escriba que assim o diz ou é baixo, ou tem complexos. E não se deve ter. Assuma que é pequeno. Nasce-se baixo ou alto e isso é irrelevante, mas abaixo de 1,80 é-se baixo. O que não é problema nenhum. Ponto!
“um dos jovens diplomatas mais competentes”!!!!! O que significa isto? O moçoilo provou em Postos C, difíceis? Num serviço do quadro interno onde lhe eram exigidas complexas respostas? Não!
Perfil académico adequado? Há cada uma! Que significa isso? Também a tal gestora do Banif, Conceição Leal, tinha e depois de afundar a porcaria do Banif onde se encontra acantonado o ex-MENE, Amado (a clamar por apoios do Estado e dos contribuintes, para isso foi convidado e é pago) está hoje a auferir cerca de 1 milhão de euros de salário anual, cerca de 780 mil mensais! Os patetas que defendem o tal "perfil adequado" estão a brincar ou a fingir que não sabem que o dito jovem pequeno diplomata é próximo do PSD? E por isso, acima de tudo, foi para ao gabinete do PM Coelho.
Meus caros comentadores apoiantes do jovenzito – não brinquem com a rapaziada da S.E.
Vão dar uma volta ao bilhar grande!
PS: o Blogue dele, onde aparece um gato, não se percebe lá muito bem.
Carlos Albino, não tenha receio destes jovens lobos, aquilo são “feras” sem dentes. É a fingir. No dia em que deixarem de ter quaisquer apoios políticos, perdem a coragem, a sapiência, “experiência” etc. Mantém apenas os seus 1,65 cm e já não é mau.

Anónimo disse...

Então vejamos... se efetivamente numa contenda entre conhecimentos e experiência esta última sai vencedora, deveria assessor o SEXA PM um eterno conselheiro com vinte anos de casa que não sabe distinguir o FEEF do MEE ou mesmo o Conselho Europeu do Conselho da Europa? É que nestas coisas de apontar e nomear convém saber primeiro que raio de tarefas o rapazito foi lá desempenhar. É possível que não haja ninguém na casa com tantos conhecimentos de assuntos europeus como ele? Ou é matematicamente impossível que com aquela idade o moço de estatura média (mas maior que muitos dos seus colegas em estatura e não só) seja assim tão bom?

Quanto às ligações partidárias, pouco ou nada se pode dizer sobre elas. São sempre a falácia mais à mão. Acreditem ou não (e pasmem-se), mas neste país ainda há espaço para a "meritocracia".

Anónimo disse...

Realmente,parece-me que o último anónimo tem toda a razão e deve conhecer bem o rapaz. Sair da provincia, onde nunca teve qualquer ligação politica (e continua não ter), ser o melhor aluno do curso (premio Adriano Moreira), bolseiro do MNE no Colégio da Europa em Bruges, ficar no colégio da Europa como assistente, ser o primeiro classificado no concurso dele, o que são essas coisas, a não ser bagatelas? Paga o justo pelo pecador e dor de cotovelo sempre foi uma dor muito má ...

Hugo de Melo Palma disse...

Caro último Anónimo,

Sabe do que fala? Então prove os apoios políticos e pessoais.

A mim, parece-me que conhece tanto o percurso de que fala como a estatura média dos portugueses.

Cumprimentos,
Hugo Palma

Hugo de Melo Palma disse...

Ou fazer contas.

Hugo Palma

Rita disse...

Hugo Barbosa está lá por mérito próprio. Eu mesmo o assisti em Campo C, A e D. Desde petiz.

Tem capacidade de Despacho e é lesto com as Senhoras de Idade. Nos Banquetes senta-se sempre ao Centro. E é muito requisitado. PM é apenas mais um. O Petiz atesta Potencial.

Má línguas. Num é retornado. É bom rapaz. Vi-o noutro dia. Bem agasalhado. Corria para o Comboio. Tinha um serviço na Outra margem.

Isto é só Inveja. Hugo Barbosa é um Doutor com Causa. Gosta da Praia. E dos coisas mais particualares.

Hugo, Hugo, Hugo.

Dá-me o teu Capuz.

NV disse...

A conversa derivou. O texto inicial punha à discussão apenas o critério de nomeação de um adjunto diplomático do Primeiro-Ministro, e não a pessoa nomeada, nem sequer a legitimidade do ato de nomear. O PM, se assim o entender, não está impedido nem ninguém o pode impedir de nomear até um adido. Mas o que fica em escrutínio, também legítimo, é o critério de nomeação. O texto que deu origem a este ajuntamento de curiosos anónimos, é absolutamente factual, não tem adjetivos nem considerandos pessoais. Apenas se diz que o PM nomeou um 3.º secretário como seu adjunto diplomático, juntando.se o currículo, por sinal valioso - use-se agora o adjetivo. Mas a questão é outra, é a do critério. Assuntos a que voltaremos, sem dúvida. Mas, aqui, em NV, ponto final nos ataques pessoais, sobretudo de quem usa o recurso do anonimato disponibilizado para facilitar debate sérios, debate de ideias, e não picadas. Quem quiser, pode criar um blogue para as picadas (já houve...) mas aqui não.