30 Setembro 2004

China. Sinal para «um exército revolucionário, moderno e regular».

O secretário-geral do Comité Central do Partido Comunista da China (PCCH), Presidente de Estado e presidente da Comissão Militar Central do PCCH, Hu Jintao, reiterou ontem, em Beijing (Pequim), que a China deve promover plenamente a construção dum exército revolucionário, moderno e regular. Hu Jintao fez tal afirmação ao inspeccionar o sistema informático do comando militar chinês e ao receber representantes para a construção dos órgãos do comando do Exército. O Presidente Chinês afirmou que a construção dos orgãos do comando, corresponde a um importante papel na construção do Exército, a qual merece alta atenção e deve ser colocada numa posição estratégica.

Este objectivo militar da China passou à margem do quotidiano noticioso, mas NV registaram, porque seguem, naturalmente, as posições oficiais das duas diplomacias que mais se assemelham no Mundo – a do Vaticano e de Pequim, a primeira por definição mais interessada no gládio espiritual, e a segunda por redobradas mas não menos discretas razões, no gládio temporal. Em ambas, qualquer sinal é um indício; qualquer indício é um aviso e qualquer aviso volta a ser sinal.

Sem comentários: